Loading...
Notícias

Palestra Polar

No passado dia 3 de outubro realizou-se uma palestra com o Doutor Pedro Ferreira, investigador do LNEG. Esta atividade inseriu-se no âmbito da Semana Polar que se celebra nos equinócios de Outono e da Primavera.

O cientista começou por se dirigir à plateia constituída pelos alunos de Biologia e Geologia do 10.º ano apresentando os materiais de geólogo: lupa, carta geológica e martelo de geólogo. Prosseguiu explorando as diferenças entre o Ártico e a Antártida, onde vivem respetivamente os ursos polares e os pinguins.

Destacou o Tratado da Antártida, segundo o qual é “terra de ninguém, terra de todos”. De acordo com o mesmo, a única atividade permitida é a investigação científica. Contudo, o turismo tem vindo a ganhar força nos últimos anos…

Caraterizou o clima na Antártida, apresentou fotos fantásticas dos icebergues que concentram cerca de 75% da água doce do planeta e cuja fusão provoca o aumento da subida do nível médio das águas do mar. Prosseguiu com a apresentação das bases científicas e do Programa Polar Português que envolve estudos no Ártico e na Antártida. Este programa permite apoio logístico, acordos com as referidas bases e financiamento à investigação. Como contrapartida pela utilização das bases científicas, Portugal freta anualmente um avião que permite a deslocação dos cientistas.

O público acompanhou as exigências de uma viagem à Antártida, desde o curso de Socorrismo aos formulários a que é exigido responder. Já no terreno, o vestuário é feito em camadas, desde a térmica interna à externa impermeável.

Mas o que fascinou a audiência foram as fotos dos animais naquele continente: o Pinguim de barbicha, o Pinguim-gentoo, a Andorinha do ártico (que na sua vida percorre o equivalente a 3 idas e voltas à Lua!), o Leão-marinho, a Foca-leopardo, o Elefante-marinho (e as suas lutas territoriais e pela posse de fêmea). No grupo das aves, o óscar de simpatia vai para a Skua!

A outra face do trabalho desenvolvido na Antártida foi documentada com fotos relativas ao impacte ambiental da presença humana que nem sempre cumpre as regras estabelecidas!

 

Saiba mais em www.propolar.org

 

Professoras Emiltina Matos, Dulce Pinto e Filomena Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.